Nossos Relacionamentos

Relacionamento com Governo, Organizações e Fóruns

A Fibria participa do debate sobre a formulação de políticas públicas e da discussão de marcos regulatórios que tragam segurança jurídica para o desenvolvimento de negócios e da sociedade de maneira sustentável. É preocupação da companhia que, nesse processo, seja promovido um ambiente político-institucional sadio, sempre reforçado pela disposição ao diálogo e pela postura de transparência.

Buscamos nos posicionar nesse cenário não apenas na condição de empresa líder do segmento de celulose de fibra curta, mas como organização que aposta no desenvolvimento de uma nova economia de baixo carbono, baseada na substituição de matéria-prima fóssil nas mais diversas cadeias produtivas. A estratégia que adotamos, da diversificação em bioprodutos, teve em 2017 um marco importante do qual a Fibria participou como parte interessada: a construção da nova política nacional de biocombustíveis, a RenovaBio.

Nessa perspectiva, os temas relacionados à regulamentação e à promoção de bioprodutos e de OGM (organismos geneticamente modificados) têm especial destaque. As políticas públicas em bioprodutos serão fundamentais para tornar realidade a visão de transformar as plantas atuais de celulose em biorrefinarias, criando valor sustentável para a grande expertise da Fibria na produção de biomassa de eucalipto.

Manual de Relacionamento com Agentes do Governo

A Fibria lançou, em 2016, seu Manual de Relacionamento com Agentes do Governo, como resultado do amadurecimento da empresa e do fortalecimento de uma cultura de compliance. O Manual descreve os padrões Fibria para a condução de relacionamentos junto a autoridades políticas, além de tornar clara a postura da empresa durante períodos eleitorais. Também complementa orientações já estabelecidas no Código de Conduta e na Política Anticorrupção da Fibria.

Além disso, um dos objetivos do Manual é de promover o registro estruturado de reuniões e encontros com agentes do Governo, a partir da construção de um histórico dos relacionamentos institucionais. Em 2017, fizemos a primeira compilação desses registros, com um engajamento satisfatório das áreas da empresa. Programamos para 2018 ações de sensibilização e reforço nos mecanismos para fomentar cada vez mais o registro dessas interações.

Fóruns Nacionais e Internacionais

A Fibria fortalece o diálogo e as parcerias com governos, empresas, ONGs e universidades ao participar ativamente, com posições executivas e consultivas, inclusive, de fóruns e grupos de trabalho no país e no exterior que se dedicam a temas relacionados ao manejo sustentável das florestas.

Em todas essas frentes, o objetivo é criar condições para mitigar impactos e gerar benefícios ao planeta. São iniciativas que também favorecem o relacionamento da Fibria com clientes e investidores, por darem maior visibilidade aos valores e às práticas do nosso negócio.

A seguir, alguns dos principais compromissos assumidos pela empresa e diálogos nos quais está envolvida:

Inventário anual de Gases de Efeito Estufa (GEEs)

Voluntariamente, a Fibria publica seu inventário anual de emissões e remoções de GEEs. Os cálculos são realizados de acordo com a metodologia do GHG Protocol, desenvolvida pelo WRI (World Resource Institute) e WBCSD (World Business Council for Sustainable Development) seguindo as diretrizes do ICFPA (International Council of Forest & Paper Associations). O inventário traz emissões e remoções das áreas florestais, das atividades industriais e de logística que são verificadas por organizações independentes que atestam que o inventário está ou não alinhado às metodologias internacionais ISO 14064 e GHG Protocol.

Mosaico florestal em Capão Bonito (SP)
Foto: Marcio Schimming

Coalizão Brasil Clima Florestas e Agricultura

A Fibria também faz parte desse movimento multisetorial, composto por entidades do agronegócio, organizações civis da área de meio ambiente e clima, representantes do meio acadêmico, associações setoriais e companhias líderes nas áreas de madeira, cosméticos, siderurgia, papel e celulose, entre outras. Na Coalizão, essas forças tratam das questões decorrentes das mudanças climáticas sob a ótica de uma nova economia, baseada na baixa emissão de gases do efeito estufa (GEE). Além disso, um dos objetivos da Coalizão é auxiliar o governo e a sociedade brasileira a cumprir as Contribuições Nacionalmente Determinadas (NDCs) brasileiras— os compromissos que o Brasil assumiu no esforço global para alcançar as metas de redução de GEE do Acordo de Paris. Nesse fórum, João Augusti, gerente de Meio Ambiente Florestal da Fibria é colíder do Grupo de Trabalho de Valoração e Serviços Ecossistêmicos. José Luciano Penido, presidente do Conselho de Administração da Fibria, participa do Grupo Estratégico.

Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS)

A Fibria é integrante da entidade, que reúne líderes empresariais para propor conceitos e práticas a respeito do tema e representar o setor empresarial na transformação do sistema econômico em direção a um novo paradigma sustentável. Profissionais da companhia participam nas câmaras temáticas de clima, biodiversidade e água.

CDP Investors

Desde que foi fundada, a Fibria participa do Carbon Disclosure Project (CDP) Climate, organização mundial que disponibiliza informações e orienta investidores na compreensão dos riscos e das oportunidades advindas da mudança do clima. A entidade congrega investidores institucionais e convida anualmente mais de 6 mil empresas listadas em bolsas de valores do mundo todo a, voluntariamente, fornecer informações referentes à sua governança climática.

Centro de Estudos em Sustentabilidade (GVces)

O Centro de Estudos em Sustentabilidade (GVces) está ligado à Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getulio Vargas (FGV EAESP) e desenvolve estratégias, políticas e ferramentas de gestão pública e empresarial para a sustentabilidade.

Diálogo Florestal

A empresa manteve sua atuação nos fóruns regionais do Diálogo Florestal, como o do Espírito Santo; o do sul e extremo sul da Bahia; o de São Paulo e o do Mato Grosso do Sul. Conheça as principais discussões e os resultados das reuniões dos fóruns do Diálogo Florestal em www.dialogoflorestal.org.br.

Environmental Paper Company Index (EPCI)

Desde 2013, a Fibria participa do EPCI, um estudo que mostra a evolução das empresas em relação à transparência e à sustentabilidade. Em 2017, a Fibria obteve avanços em todos os quesitos e atingiu pontuação média de 75,4%, ante 72,7% no levantamento anterior.

New Generation Plantations (NGP)

Esse projeto, criado em 2007 pelo World Wide Fund for Nature (WWF), mobiliza empresas e agências governamentais para avaliar e estabelecer os melhores conceitos e técnicas de manejo florestal na silvicultura, tendo em vista a conservação da biodiversidade e o atendimento das necessidades humanas. A Fibria aderiu ao projeto e comprometeu-se a promover, em seus novos plantios florestais, a conservação dos ecossistemas, a participação efetiva das partes interessadas, o crescimento econômico e a geração de empregos. No site do NGP estão publicados os estudos de caso Carbon Management Programmes (www.newgenerationplantations.com/climate_brazil_fibria.html), sobre as ações da Fibria para o monitoramento e a redução da pegada de carbono, e Community Nurseries Take Root (www.newgenerationplantations.com/social_brazil_fibria.html), que trata da produção de mudas nativas em viveiros comunitários apoiados pela companhia.

Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS)

Os ODS são uma agenda global definida pela ONU e adotada na Cúpula das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável de setembro de 2015. A agenda compreende 17 objetivos e 169 metas que devem ser atingidos até 2030 e incluem, entre outros temas:

  • a erradicação da pobreza
  • a segurança alimentar
  • saúde e educação
  • igualdade de gênero
  • redução das desigualdades
  • energia, água e saneamento
  • padrões sustentáveis de produção e de consumo
  • mudança do clima
  • cidades sustentáveis
  • proteção e uso sustentável dos oceanos e dos ecossistemas terrestres
  • crescimento econômico inclusivo
  • infraestrutura e industrialização

A Fibria se compromete com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável por entender que o engajamento do setor privado é fundamental para acelerar o cumprimento da Agenda 2030. Ao redefinir, em 2016, os temas materiais relevantes para a sustentabilidade econômica, social e ambiental de suas operações — o processo de materialidade — a companhia avaliou a conexão dos ODS com os temas em discussão e seus impactos na cadeia de valor.

O resultado dessa iniciativa pode ser conferido na Central de Indicadores deste Relatório, na qual essas conexões são explicitadas (clique aqui para ir à Central de Indicadores)

Em 2017, a Fibria participou do Grupo de Trabalho de ODS do Pacto Global no Brasil, compartilhando com outras empresas a sua jornada de integração das ODS na companhia.

Pacto Global

Membro do Pacto Global, a Fibria é uma das 34 empresas — dentre as atuais 12.870 — que participaram da iniciativa da ONU desde sua criação, no ano 2000. O Pacto reforça, na comunidade empresarial, a adoção de valores fundamentais de direitos humanos, relações de trabalho justas, respeito pelo meio ambiente e combate à corrupção. O Pacto Global se desdobra em 10 princípios (clique aqui para conhecê-los). As empresas e organizações que aderem a ele sinalizam a disposição de gerenciar seu crescimento de maneira responsável e contribuir para a construção de um mercado global mais inclusivo e igualitário.

Além disso, as empresas signatárias do Pacto Global devem publicar anualmente uma Comunicação de Progresso informando os avanços conseguidos na implantação dos 10 princípios e no apoio a outros objetivos de desenvolvimento da ONU. As Comunicações de Progresso publicadas pela Fibria podem ser lidas aqui)

(Mais informações a respeito do Pacto Global podem ser encontradas em www.pactoglobal.org.br.)

Os 10 Princípios do Pacto Global

Respeitar

e apoiar os direitos humanos reconhecidos internacionalmente na sua área de influência

Asegurar

a não participação da empresa em violação dos direitos humanos

Apoiar

a liberdade de associação e reconhecer o direito a negociação coletiva

Eliminar

todas as formas de trabalho forçado ou compulsório

Erradicar

efetivamente todas as formas de trabalho infantil da sua cadeia produtiva

Estimular

práticas que eliminem qualquer tipo de discriminação no emprego

Assumir

uma abordagem preventiva, responsável e proativa para os desafios ambientais

Desenvolver

iniciativas e práticas para promover e disseminar a responsabilidade sócio-ambiental

Incentivar

o desenvolvimento e a difusão de tecnologias responsáveis

Combater

a corrupção de todas as formas, incluindo extorsão e suborno

Task Force on Climate-related Financial Disclosures (TCFD)

A Fibria aderiu em 2017 a esta organização (https://www.fsb-tcfd.org/), que tem por finalidade elaborar recomendações para a disclosure voluntária de informações financeiras relacionadas ao clima. A meta é estabelecer um conjunto de dados claros, consistentes e comparáveis que sejam úteis para a tomada de decisões por parte de investidores, seguradores, bancos e outros agentes do mercado.

The Forests Dialogue (TFD)

A Fibria atua no The Forests Dialogue (https://theforestsdialogue.org/), plataforma internacional que promove debates sobre questões sensíveis na área florestal, envolvendo empresas florestais, ONGs, comunidades indígenas e organismos multilaterais.

Water Footprint Network

Essa fundação internacional (www.waterfootprint.org) congrega empresas que avaliam voluntariamente sua pegada hídrica — ou seja, o volume de água consumido direta ou indiretamente no processo de produção. A Fibria aderiu à WFN em março de 2010 e concluiu em 2012 a avaliação da pegada hídrica em sua cadeia de valor, monitorando o uso da água em todo o ciclo de produção, desde o viveiro florestal até a entrega do produto aos clientes.