Nossos Relacionamentos

Relacionamento com o Acionista e Investidor

O ano de 2017 foi surpreendente para o mercado global de celulose. Começou com uma perspectiva de queda de preços ao longo do período, em consequência da entrada no mercado de novas linhas de produção — uma delas, nossa segunda fábrica em Três Lagoas (MS). Tais previsões não se confirmaram. Apesar do aumento da oferta de celulose decorrente dessas novas capacidades, uma série de paradas de produção inesperadas acabou retirando do mercado um volume de celulose maior do que o novo acréscimo.

Essa reviravolta na oferta veio combinada com um crescimento forte da demanda para configurar um mercado em que, ao contrário das previsões iniciais de analistas e participantes, faltou produto. O resultado foi uma sequência ininterrupta de aumentos do preço da celulose, que chegou no final do ano a 979 dólares por tonelada na Europa, de acordo com o preço de referência divulgado pela FOEX.

A Fibria estava bem posicionada para colher os frutos dessa mudança de condições e, além disso, a avaliação de mercado se fortaleceu: a agência de risco S&P mudou sua perspectiva para a Fibria de negativa para estável, afastando o risco de perda do grau de investimento. Já a agência Fitch, que também classifica o crédito da companhia em grau de investimento, alterou a perspectiva sobre o rating de estável para positiva. E, atualmente, temos hoje o menor custo de funding do setor e concretizamos o maior projeto de investimento da América Latina com alavancagem significativamente menor do que o previsto.

O que isso significa para o futuro imediato? Um grande incremento na sustentabilidade financeira da companhia, que passa a gerar mais caixa e acelerar sua desalavancagem.

Ao mesmo tempo, cuidamos de consolidar nossa sustentabilidade social e ambiental, que aos poucos também começa a ser reconhecida pelo mercado como um conjunto de indicadores tão importante quanto a frente econômica para avaliar as perspectivas de futuro de um empreendimento.

A Fibria busca o diálogo e a transparência no relacionamento com seus acionistas e investidores. Para tanto, promove eventos como o Investor Tour e o Fibria Day, realizado anualmente na Bolsa de Valores de Nova York (NYSE), ambos com a presença de analistas e investidores do mundo inteiro.

A companhia segue listada no Índice Dow Jones de Sustentabilidade de Mercados Emergentes (DJSI Emerging Markets), da Bolsa de Valores de Nova York, e no Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE), da B3 (antiga BM&FBovespa), o que sinaliza para o mercado seu comprometimento com o tema.

Prêmio para Título Verde

A Fibria fez em janeiro sua primeira emissão de títulos verdes — os green bonds

no valor de US$ 700 milhões

Esses títulos são papéis destinados a financiar investimentos relacionados à sustentabilidade ambiental, envolvendo a manutenção de florestas plantadas, a conservação das florestas nativas e projetos de ecoeficiência relacionados à água, energia renovável e resíduos.

Esses recursos, em linha com as metas de longo prazo da companhia, vão custear projetos com foco em manejo florestal sustentável, restauração de florestas nativas e conservação da biodiversidade, gestão de resíduos, gestão sustentável da água e geração de energia a partir de fontes renováveis.

Em setembro, a Fibria recebeu, por essa emissão, o prêmio Global Capital Sustainable and Responsible Capital Markets Awards, concedido pela Global Capital, uma das principais publicações internacionais sobre mercados de capitais.